É muçarela!

Momento da sabedoria; É difícil alguém acertar na escrita… só pode ser preguiça de recorrer ao dicionário. O Houaiss diz que, ou escreve-se muçarela (versão aportuguesada) ou mozarela, derivada da italiana mozzarella. Muzarela á vi bastante, não sei se está certo. Mussarela, nem pensar. Acabei de ver esta última versão na Band. Não tem jornalistas lá?

Anúncios

Um pequeno passo para o homem…

Grande passo para o blog. Hoje registrei o domínio e, a partir de agora, esse site passa a atender por fundojornalistico.com 🙂

Grelhando filés

Valorizando o produto local, repasso uma tabelinha com especificações para grelhar filés em cada ponto indicada pelo Beto Barreiros, proprietário do famosíssimo Box 32 de Florianópolis. Como tudo depende da temperatura e da distância da carne à brasa, o que segue abaixo é ideal para filés de 2,5 a 5cm de espessura, numa grelha preaquecida em temperatura alta.

A parte mais valorizada do boi – o mignon

Bem malpassado – um minuto para cada lado do mignon e dois para a picanha. Carne muito macia e interior vermelho escuro.

Malpassado – dois minutos para cada lado do mignon e três para a picanha. Carne macia e esponjoga, com interior vermelho. A preferida na França.

No ponto – três minutos para cada lado do mignon e quatro para a picanha. Carne levemente resistente com centro rosado. Preferência nacional!

Bem passado – tostar cada um dos lados da carne e finalizar com seis (mignon) a dez (picanha) minutos de forno em temperatura baixa. Carne firme e escura, perde muito líquido.

Veja aqui como pedir essas carnes em restaurantes americanos, além de imagens interessantes.

Batata verde

Quando a batata vem com partes verdes, não é porque não está madura – e eu não sabia do perigo. Ela produz naturalmente, como defesa, uma substância chamada solanina, que é altamente tóxica e deixa o tubérculo amargo. A quantidade normal do químico encontrada numa batata fica entre 2 e 15mg, o que não apresenta nenhum risco à saúde humana, mas nas partes verdes a concentração é maior e não vale arriscar.

O bom é que o restante da batata, fora da área verde, pode ser consumido sem problema nenhum, basta cortar a parte ruim. A solanina fica concentrada próxima à superfície (dá pra ver bem na foto), então vale descascar bem a batata e guardá-la em local escuro, seco e fresco, pois a exposição exagerada à luz gera a liberação da substância. O mesmo vale para quando nascem os brotinhos, que também são ricos em solanina!

Com informações do Diário Catarinense de 26/08/2011

Fênix

É com muita, muita, muita alegria que comunico aos seguidores: essa semana retomo as atividades do blog! Tenho uma nova pilha de livros para recomendar e novos filmes para comentar, além de agora estar com a vida organizada o bastante para voltar à cozinha e ter novos relatos. Já, já.

Retomada

Estou de volta ao Brasil e assim que tudo voltar ao lugar prometo retomar as atualizações! Falta pouco 🙂

Ganhando o mundo

Deixo aqui a indicação de uma matéria da Globonews sobre o brigadeiro. Muito interessante! E conta, ainda, com a entrevista da autora do Mil-folhas, que recomendo na seção de livros. É a vez do nosso tão popular docinho cair nas graças de outros países… Assistam e deixem suas impressões 🙂

Entradas Mais Antigas Anteriores