Mac n cheese

ImageSe minha ida aos Estados Unidos mês passado serviu para alguma coisa – gastronomicamente falando -, foi para, após seis anos, voltar a comer macaroni com queijo. Idolatrado na terra do tio Sam, mac and cheese pode ser realmente muito bom, mas precisa de cuidado para fazer. Assim que voltei da viagem, vi na Band um cozinheiro fazendo a receita e jurando de pé junto que tinha ido aos EUA aprender; não me convenceu por várias razões. De cozinhar o macarrão na água, separado do molho, à usar muçarela e amido para engrossar o creme, nada fez muito sentido pra mim. Repasso agora a receita do originalíssimo, resgatada dos tempos que morava no Canadá e a grandma me apresentou ao mac! foto: simplyrecipes

– 4 xícaras de leite integral ou semi-desnatado

– 3 xícaras de macaroni ou um macarrão pequeno (eliche, penne, fusilli…)

– 4 colheres de sopa de manteiga

– 2 xícaras de queijo cheddar ralado

– sal, pimenta e noz moscada, para quem quiser

– para cobrir, bacon ou farelo de pão torrado (meia xícara basta)

Muito fácil fazer! Cozinhar o macarrão no leite, sem deixar levantar fervura. Quando ameaçar, baixar o fogo. Deixar cozinhar um pouquinho além do al dente; o macarrão deve absorver boa parte do leite. Em outra panela, derreter a manteiga e o queijo e temperar. Quando o queijo estiver bem derretido, juntar tudo, arrumar em uma travessa, colocar pão ou bacon torrado (ou ambos ;D) por cima e assar em fogo médio por 20 minutos ou até a parte de cima estar douradinha.

Massa genérica para focaccia

Ontem queríamos muito comer uma focaccia ou pizza, e na falta de fermento biológico, arrisquei com o químico e deu certo. Não fica como a original, claro, mas ficou saborosa, crocante por fora e macia por dentro. Quando faltar tempo – e fermento -, recomendo!

  • 3 xícaras de farinha de trigo;
  • 3 ovos;
  • ¾ xícara de óleo;
  • 1 xícara de leite;
  • 1 colher de chá de sal;
  • 1 ½ colher de chá de fermento químico em pó;
  • Misturar tudo no liquidificador, menos o fermento, que deve ser adicionado com uma colher e incorporado lentamente.
  • Colocá-la em tabuleiro de 35×20 cm untado com manteiga e farinha.
  • Levar ao forno baixo, pré-aquecido a 180ºC por ± 25 minutos.
  • Para a cobertura sugiro azeite de oliva, sal grosso e alecrim, que devem ser todos adicionados ao final do cozimento.

A focaccia é de origem genovesa, consumida na Itália como antipasto geralmente, mas também como desjejum. A massa deve ser achatada, com até 2cm de altura. Antigamente era assada nas cinzas das lareiras, por isso a origem do nome vem de focus, que é lareira no latim.

Capelletti in Brodo

Meu sangue italiano pulsa forte com qualquer massa, mas o capelletti é especial 🙂 A receita em questão, “capelletti em caldo” já está difundida por toda a Itália hoje, mas tem sua origem na região da Emília. O primeiro registro escrito da receita data de 1200, orientando em seu preparo o uso de carne bovina com uma mistura de alho, alecrim, cebola e manteiga triturados, além de queijo, farinha e ovos. Hoje existem inúmeras variações de recheio, temperos e caldos, e também a forma servida não como sopa, mas como outras massas recheadas tipo ravioli, o cappellaccio, típico da região de Ferrara e igualmente delicioso.

Nossa versão bem leve, com pouca gordura e tempero moderado, muito boa:

– 1 litro de fundo de aves

– 400g de capelletti com qualquer recheio

– 250g de peito de frango desfiado, temperado com sal

– 1 dente de alho muito bem picado ou moído

– cubinhos de bacon a gosto (opcional)

– azeite de oliva

O que exige mais empenho é o preparo do fundo. Quando pronto e coado, manter a fervura e adicionar o capelletti, que cozinha em cerca de 12 minutos. Numa frigideira, esquentar o azeite e cozinhar o frango com o alho até ganhar cor. Juntar o frango ao caldo em andamento. Também na frigideira, refogar o bacon rapidamente até murchar e colocar na sopa já pronta. Finalizar com bastante queijo ralado.

Spaghetti com Bottarga

Mais fácil impossível, e a incorporação da bottarga torna o prato refinado e impressiona os convidados.  🙂 A receita é Spaghetti com Bottarga ao Perfume do Limão Siciliano, porque apesar do sabor incrível das ovas, o aroma do limão supera o cheirinho de coisas do mar.

– 400g de spaghetti (ou uma massa fininha)

– 1 copo de caldo de peixe (ou de legumes, se quiser suavizar a receita)

– 20g de bottarga ralada e 20g de bottarga em cubinhos (veja aqui a foto)

– raspas da casca de 1 limão siciliano

– 1 dente de alho amassado

– azeite, sal, pimenta, folhas de erva-doce

Cozinhar a massa em 4 litros de água salgada, mas um ou dois minutinhos antes de dar o ponto, interromper o cozimento. Numa frigideira grande, refogar o alho no azeite até começar a branquear. Aí, juntar o caldo de peixe/legumes e algumas folhas de erva-doce. Escorrer a massa semi-pronta e colocá-la na frigideira, para que acabe de cozinhar no caldo temperado. Mexer bem por alguns minutos e adicionar a bottarga cortada em cubos, sempre misturando para que o caldo seja completamente absorvido.

No final, arrumar na travessa, polvilhar com as raspas de limão e com a bottarga ralada. Arrumar o sal e a pimenta, regar com azeite e decorar com folhinhas de erva-doce.

Pasta com Salmão

Essa receita saiu ainda há pouco, numa invenção a partir do que tinha em casa. Ficou gostoso e leve.

Gostaria de discutir a história do macarrão, mas são tantas as controvérsias, que é melhor continuar só comendo…

A pasta é uma das mais antigas invenções culinárias:as receitas datam de, aproximadamente, 3.500 anos. Muitos acreditam que foi Marco Polo quem a introduziu na Itália, após viagem à China, mas ilustrações em manuscritos gregos mostram que a pasta era alimento básico na Antiguidade, tanto na Grécia como em Roma.

– 500g de macarrão (usei fusilli)

– 1 tomate concassè

– 1 cebola em cubos

– 400g de cubinhos de salmão cru salgado

– pimenta, azeite e manjericão (ou salsinha crespa, como fiz)

– pode-se ainda colocar creme de leite, se quiser um molho mais encorpado

Numa frigideira, dourar a cebola, adicionar o salmão e em seguida o tomate. Refogar poucos minutos, apenas para amolecê-los (exceto o salmão, que pode ser cozido). Preparar a massa separadamente e juntar quando al dente – fusilli fica al dente em 7 minutos. Aí pode-se regar com um pouco mais de azeite, colocar a pimenta e o tempero verde escolhido. O creme de leite também deve ser adicionado enquanto a massa estiver bem quente.

Confesso que fiquei com vontade de colocar lascas de parmesão ao final do preparo, mas como dizia minha professora Nicole, do IF-SC, quem coloca queijo numa massa em que vai frutos do mar não entende nada de gastronomia…

Pasta com Camarão ao Curry

Esta receita tirei de um site italiano legal: www.ricettemania.it

Jantar da noite de domingo… Assim ficou o prato que fiz hoje. Finalizei com um pouco de cebolinha só pra dar uma cor.

Ingredientes para 4 pessoas:

– 400g de massa 

 – 30g de camarão descascado

– 1 cebola média picada

– curry a gosto

– 100ml de creme de leite

– 50g de nozes (troquei por castanha de caju, não sou fã de nozes)

– meia xícara de vinho branco

– azeite, sal e pimenta

Preparo:

Colocar a água para ferver com sal e óleo. Enquanto isso, saltear os camarões com azeite e as nozes/castanhas picadas – cortei-as ao meio. Em outra frigideira, fritar a cebola com 2 colheres de sopa de óleo. Quando estiverem “transparentes”, adicionar o curry em pó, o vinho branco e  o creme de leite. Em seguida, juntar à mistura do camarão. Cozinhar o macarrão e juntar tudo, dando uma boa mexida.

A massa que usei foi capellini e só coloquei a pimenta (usei do reino) ao final do preparo. Salpiquei um punhado de cebolinha bem picada. Pronto!